Ao escolher um tubo de cobre, seja liso ou ranhurado, é preciso contar com um fabricante que tenha elevado know how e expertise em sua fabricação, diz especialista

 

 

Se lembrarmos dos primeiros aparelhos de ar-condicionado que foram fabricados, será impossível não se assustar com o tamanho que eles tinham e o espaço que ocupavam. Era preciso praticamente um guincho para colocá-los na parede. Com o passar do tempo, isso foi mudando, o produto evoluindo e o próprio consumidor passou a demandar um equipamento mais compacto.

Neste artigo, procuramos explicar como componentes ajudaram na redução do tamanho dos equipamentos, mais especificamente porque os tubos de cobre ranhurados passaram a ser preferenciais em vez dos tubos de Cobre lisos na fabricação destes aparelhos.

Pois bem, para atender essa demanda dos clientes, as empresas fabricantes  de equipamentos de ar-condicionado tiveram que investir em pesquisa e desenvolvimento para encontrar alternativas que ajudassem a superar o desafio de diminuir o tamanho desses aparelhos e, ao mesmo tempo, garantir que eles fossem eficientes.

E, em sistemas de refrigeração, entende-se eficiência como troca térmica. Para ficar mais fácil de compreender, é só pensar em como funciona um aparelho de ar-condicionado: ele pega o ar do ambiente e refrigera.

 

Uma das alternativas para isso, é levar em consideração o fato de que quanto maior a área de contato do fluido – que no caso é o gás de refrigeração – com o tubo que está dentro do condensador, maior será a troca térmica e menor será o consumo de energia elétrica.

Por isso, encontrar formas de diminuir o tamanho do equipamento, sem prejudicar a eficiência, é também um desafio para quem produz componentes importantes dos sistemas de refrigeração, como por exemplo, os tubos de cobre. Foi preciso buscar forma de garantir a mesma eficiência térmica usando uma extensão menor de tubos.  A saída encontrada foram os tubos de cobre ranhurados, que começaram a ser fabricados por aqui em 2000.

Se vistos de fora, os tubos de cobre ranhurados parecem idênticos aos tubos de cobre lisos, mas existem algumas diferenças técnicas em sua geometria que os tornam mais vantajosos para os sistemas de refrigeração.

A principal delas é o fato de a parte interna ser composta por diversas ranhuras, que quando esticadas aumentam a área interna do tubo. Ou seja, em um mesmo diâmetro de um tubo liso, por exemplo, é possível ter uma área superficial maior com tubo ranhurado. O que resolve o problema que mencionamos lá acima de aumentar a área de contato, sem precisar de uma extensão maior de tubos.

Pode-se dizer que os tubos de cobre ranhurados são o “estado da arte” no que diz respeito a tubos de Cobre.  O processo de fabricação é bastante complexo, especialmente para garantir a resistência e evitar que o tubo falhe ao serem empregados os processos dos fabricantes de ar-condicionado.

Isso poderia, inclusive, causar vazamento de gás, fato que inutilizaria o equipamento de ar condicionado.  Desta forma, ao escolher um tubo de cobre, seja liso ou ranhurado, é preciso contar com um fabricante que tenha elevado know how e expertise na fabricação desses produtos.


*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista do Frio, sendo de inteira responsabilidade de seu autor

Fonte: Revista do Frio